- o caráter voluntário;

- a imparcialidade do Mediador e do Árbitro;

- a habilitação técnica do Mediador e do Árbitro adequada a cada caso; 

- a segurança jurídica, pois a sentença arbitral, no ordenamento jurídico pátrio, é um título executivo judicial;

- o sigilo procedimental;

- a transparência;

- a agilidade e a rapidez na solução dos conflitos.

Registro, baixa, regularização ou alterações contratuais?! Acesse o link abaixo: